Arquivo do mês: fevereiro 2017

Fotografia mal feita

(poesia dedicada a Duillys Chaves)

Na vida daquela lente
Bastava um simples momento.
O flash era o instante inocente
Que interromperia o vento.

Em meio ao silêncio das ramas,
Sem nenhum tipo de alarde,
Surge um furacão de chamas
Das asas de um Charizard.

Sobre ele um menino,
Assustado e taciturno.
Um palpite pro destino?
Talvez os anéis de Saturno.

A sorte estava lançada,
Foi ela quem viu primeiro.
A lente jogou, encantada,
Seus dados no tabuleiro.

O vento era forte e intenso,
Ela, calma e resistente.
O momento podia ser tenso,
Mas não dava medo na lente.

Acontece que a lente,
Mesmo brava, era imperfeita,
Sem captar o ar quente,
Revelou uma foto mal feita.

Sem a alma do menino,
Sem humor e sem ternura.
Sem nem mesmo o destino
Da grandiosa aventura.

PS: Essa poesia faz parte de uma série que farei esse ano, em virtude de uma promessa que fiz no Facebook. Prometi 12 peças de arte para as 12 primeiras pessoas que participassem da “corrente”. Ainda não completaram as 12 pessoas, então se você também quiser alguns escritos meus dedicados a você, basta participar do post clicando aqui.
Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized