Arquivo do mês: dezembro 2014

senti(n)do

ele estava com medo… aterrorizado. com medo de morrer. sentia-se sufocado pelas dores não sentidas, pelas palavras não ditas. ele estava congelando por dentro e tremendo por fora. as mãos, endurecidas, não conseguiam mais tocar os instrumentos. nem as pessoas. até onde sabia, não havia cura pra isso. e ele não queria entregar os pontos…

fez de tudo: tentou aquecer-se, tentou gritar socorro, tentou entender o que estava faltando. não conseguiu. o frio aumentava, ele parecia estar perdendo os sentidos. não ouvia mais seu coração bater acelerado como antes. pegou a estrada. embebedou-se. nos delírios solitários, voltou a enxergar as cores. mas ainda eram sombrias.

sentiu o cheiro da morte. nunca o havia sentido antes, mas o conhecia estranhamente bem. não tinha paradeiro. nem ressaca. prosseguiu sem rumo, sentindo enlouquecer aos poucos. nada fazia sentido. sua energia era consumida velozmente enquanto os vidros se estilhaçavam. o sangue escorria, mas as lágrimas não.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Conto