Arquivo do mês: março 2011

Sobre luares e nuvens

Se as boas recordações tomarem conta, aproveite-as. Muitas vezes são melhores do que os momentos que se foram. A vida segue, e se transforma. As respostas mudam porque as perguntas já não fazem sentido. E o máximo que você podia dar passa a não ser suficiente. Ser feliz consome tempo, de repente tudo fica mais intenso. De nada adianta projetar a perfeição em alguém, a expectativa sempre vai ser frustrada. Saiba se proteger, não espere que façam isso por você, embora, se fizerem, chegará às nuvens. Mas elas não são para todos.

Continue lendo.

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Riscos

Tolos os que são previsíveis, que se desvendam à revelia. Amo meus mistérios, eles me deixam muito mais interessante. Eles me permitem, por exemplo, escolher se quero ou não estar por perto. Posso tomar por mim mesmo essa decisão, e como não creio em erros ou destino (embora tudo se explique no final), são essas escolhas que me constroem. Se esses mistérios me tornam difícil, tenho orgulho. Se me despir deles for a condição para ser querido, dispenso o bem-querer.

Continue lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Expectativas

O que eu quero de você? Soava até óbvia a pergunta. Quero decisão, que não existam amarras, que você não se prenda a outro relacionamento, que você me escolha, mas me escolha de verdade, me prove que eu sou a sua primeira opção e que a sua idade realmente não é importante. Quero que você pare de esperar que as coisas partam de mim e tome atitude de vez em quando, que me convença que eu estou errado em te julgar antes de te dar uma chance.

Continue lendo.

4 Comentários

Arquivado em Uncategorized

encontre-me

e no meio de tanta gente eu me perdi ainda mais. entre tanta gente chata sem nenhuma graça, nada acontecia, e ninguém veio. e eu tinha certeza que não ia me apaixonar nunca mais na vida.

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

No meio do caminho…

… tinha uma pedra. Mas, embora ansiasse muito, ele não podia retirá-la. Era vital. A pedra, senhores, era seu coração. =’/

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized