Todas as estrelas

Toda estrela tem seu momento de egocentrismo.
Com esta não era diferente.
Mesmo tendo muito do que faria suas semelhantes felizes (até tudo, talvez),
Ela se achava no direito de não estar feliz.

Toda estrela brilha.
Com esta era diferente.
Mesmo tendo tanta gente à sua volta o tempo todo para admirá-la
Ela se sentia invisível por não ser amada.

Toda estrela ilumina.
Com esta não se sabia.
Mesmo tendo chance, se dizia tão sozinha que não fazia sentido clarear a noite.
Ela se sentia uma gota de óleo na imensidão de água.

Toda estrela morre.
Com esta acabaria acontecendo.
Mesmo tendo a juventude e todo o vigor que ela carrega,
Ela não tinha amor. E isso mata.

Por ora fica assim!

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em photoinação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s