Arquivo do mês: abril 2010

Todas as estrelas

Toda estrela tem seu momento de egocentrismo.
Com esta não era diferente.
Mesmo tendo muito do que faria suas semelhantes felizes (até tudo, talvez),
Ela se achava no direito de não estar feliz.

Toda estrela brilha.
Com esta era diferente.
Mesmo tendo tanta gente à sua volta o tempo todo para admirá-la
Ela se sentia invisível por não ser amada.

Toda estrela ilumina.
Com esta não se sabia.
Mesmo tendo chance, se dizia tão sozinha que não fazia sentido clarear a noite.
Ela se sentia uma gota de óleo na imensidão de água.

Toda estrela morre.
Com esta acabaria acontecendo.
Mesmo tendo a juventude e todo o vigor que ela carrega,
Ela não tinha amor. E isso mata.

Por ora fica assim!

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em photoinação

A nossa cruz

Anton Tchékhov

Mais uma vez, estou aqui para divagar com os monólogos de um ator desesperado. Hoje vou propor uma metarreflexão da arte teatral através de uma personagem muito interessante do autor russo Anton Tchékhov.

Vem comigo?

2 Comentários

Arquivado em Monólogos de um ator desesperado

Quinze dias de twitter

Mergulho teatral | 2010.1 | CET - Grupo Divulgação

Voltando com tudo pra mais um Semanário, que, dessa vez, vai ter que comportar um período maior (15 a 31 de março de 2010). Também, com minha falta de tempo, nem bombei tanto assim no twitter. Mas vem comigo ver o que rolou de interessante nesse intervalo.

Leia mais.

5 Comentários

Arquivado em Semanário